Siga-me

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

3 poesias de J. T. Parreira


3 poesias de J. T. Parreira

DE TI AMAREI TUDO

De Ti amarei tudo, o olhar
vestindo de esmeraldas
um pobre como Lázaro
Até a angústia
transparente do cálice
de Ti amarei as rosas do Jardim
únicas estrelas dessa noite

De Ti amarei tudo, o suor
iluminando o rosto
a tua cabeça voluntária
numa coroa de espinhos

Amarei tudo, até
as sandálias
em que Judas escondeu
os passos do destino.




CARREGO O SILÊNCIO NA BAGAGEM

I carry silent baggage. 
Herta Müller

Eu carrego a leveza do silêncio
na minha bagagem, o silêncio 
dos olhos do cego Bartimeu
um silencioso pacote de palavras
à espera de coisas surpreendentes
E vou levando o silêncio
como uma pequena mala de outros
que falam sob a arquitrave do dia
a dia, mesmo assim posso escutar a neve
que é o vento em flocos
e o sonho do menino na almofada
que é um lugar em paz 
ou mesmo ouvir uma lágrima
que é o silêncio da alma
e carrego nos olhos 
uma bagagem silenciosa.


SALMO 54

Inimigos dissimulam-se nas sombras
e no mais leve arbusto
a explosão do vento assusta-me
estranhos fortalecem as mãos
com rancor para tirar-me a vida
A minha oração é o meu escudo
ó Deus, levanta-me do chão dos tiranos
para me esconder nos teus ouvidos.


  in "Cânticos Suplicantes"