Siga-me

quarta-feira, 9 de julho de 2014

CATÓLICOS estão dizendo que a BÍBLIA é a PALAVRA de DEUS E PROTESTANTES estão afirmando que as Tradições Protestantes e Escritos Reformados têm a mesma Autoridade da BÍBLIA - pasmem...


CATÓLICOS estão dizendo que a BÍBLIA é a PALAVRA de DEUS e PROTESTANTES estão afirmando que as Tradições Protestantes e Escritos Reformados têm a mesma Autoridade da BÍBLIA - pasmem...

Há muito tempo, por exemplo, a Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR) considera, e proclama, no mesmo nível de autoridade, não somente as Escrituras Sagradas (Bíblia) – que por muito tempo teve a própria leitura proibida pela mesma instituição religiosa – mas, também, a infalibilidade Papal e a, famosa “Tradição da Igreja” (diga-se a que se refere à ICAR). Por muitos séculos a ICAR não só proibiu como chegou a matar quem se atrevesse ler, “publicar”, interpretar ou mesmo pregar as Escrituras Sagradas sem a visão ou a permissão papal. Estes foram, inclusive, alguns dos pretextos das Reformas Cristãs, que também não começam com Lutero, nem com Eurico Zwínglio (o único reformador radical, o qual “deixou toda a estrutura da reforma montada” para Calvino), nem com Calvino, mas com grupos, como por exemplo: Anabatistas, Petrobrucianos, ou mesmo indivíduos como Pedro Valdo, John Huss, John Wicliff, dentre tantos. Somente os reformadores (de todos os séculos, e não somente dos séculos XV, XVI, e XVII) e protestantes proclamavam o retorno às Escrituras Sagradas, bem como sua Eterna e Infalível veracidade e Inspiração Divina.


Muito posteriormente, o Concílio Vaticano II, prototipicamente, trouxe mudanças profundas nas relações entre a ICAR e as demais Igrejas Cristãs (digam-se Ortodoxas e Protestantes). Algumas destas grandes mudanças foram, pasmem:

   O conselho da leitura da BÍBLIA – “coisa de protestante”;
   A participação dos leigos (diga-se os que não são ordenados ao sacerdócio), em virtude dos mesmos serem “povo de DEUS” – “coisa de protestante, pois são os que reafirmam o sacerdócio de todos os crentes”;
   Os protestantes foram descritos como irmãos separados, e não mais como hereges, ou cismáticos – “coisa que alguns protestantes andam anunciando por aí”;
   * “AGORA, ATENÇÃO! A Bíblia e a Tradição foram vinculadas de uma nova maneira, ao serem consideradas como a expressão uma do Espírito Santo.” – “coisa que alguns protestantes estão proclamando por aí e nos estão deixando atônitos”.




Aqui se encontram nosso apreço em notar que a ICAR esteja pretendendo ter mais interatividade com a Bíblia do que com bulas papais, porém nossa indignação, em perceber que cristãos protestantes estão errando naquilo que a ICAR está parando de errar, ou seja, em atribuir divindade ilegítima naquilo e naqueles que não são legítimos. Pois quando se afirma, por aí, por exemplo, que os escritos de Lutero ou Calvino têm a mesma autoridade da BÍBLIA, estão afirmando com isso, da mesma forma que a ICAR, que as tradições e escritos protestantes têm a mesma autoridade da BÍBLIA – o que é luciférica heresia.

OBSERVAÇÃO: Este não é uma apologia ao Catolicismo Romano e muito menos uma descrédito ao Protestantismo e de todas as coisas maravilhosas que o mesmo (protestantismo, pietismo, puritanismo) trouxe a humanidade mundial. Porém, é uma advertência à sua reflexão.